Oncoguia

Pesquisa no site:

Pesquisa no site:

RSS

A- A+

Patrocínio

Mamografia Sim, mas Com Qualidade!

Tânia Aparecida Correia Furquim (Física, Instituto de Eletrotécnica e Energia/USP)

Última atualização: 18/02/2010

Quando se pensa em saúde da mulher hoje não se pode deixar de falar em câncer de mama. Este é o segundo tipo de câncer que mais atinge as mulheres, sendo o primeiro, o câncer de pele. Sabe-se que os métodos para a prevenção deste tipo de câncer estão em fase de estudo e nada existe de concreto para sua implementação. Assim, muitos esforços são consertados para se conseguir detectar precocemente, em estádios iniciais, para que o índice de sucesso de tratamento seja alto. Um dos principais e mais eficientes meios de se detectar precocemente é a realização de exames mamográficos, a conhecida mamografia.

Por se tratar de uma imagem de alta resolução, pode-se obter um contraste tal que pequenas estruturas associadas ao tumor podem ser identificadas. Portanto, há uma grande importância em se empregar uma técnica como esta. Porém, existem alguns cuidados a serem tomados quando se aplica uma técnica de imagem que utiliza radiação ionizante. No caso, a mamografia utiliza raios X, que interagem com a mama. Assim, deve-se pensar que os mamógrafos que serão utilizados devem possuir um rigoroso controle de qualidade, a fim de oferecer à paciente uma imagem de boa qualidade diagnóstica com a menor dose de radiação possível.

Todos os estabelecimentos de saúde devem implementar programas de controle de qualidade em seus mamógrafos. Os profissionais envolvidos na obtenção da imagem e do diagnóstico devem ter treinamento dedicado a mamografia e mostrarem evidências de educação continuada.

Assim, toda paciente deve solicitar que o estabelecimento de saúde demonstre essa qualidade, para que não se corra o risco de se fazer um exame mamográfico de má qualidade que não consiga detectar o tumor precocemente, apesar dele estar presente na imagem. Esta também é uma forma de manifestação de direito da paciente, da mulher e da cidadã, uma vez que o Ministério da Saúde publicou uma Portaria MS453 em 1998, que garante isso.

Saiba mais


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003-2009 Oncoguia. Todos os Direitos Reservados. desenvolvido por Lookmysite