Oncoguia

Pesquisa no site:

Pesquisa no site:

RSS

A- A+

Patrocínio

Dia Mundial do Câncer: Confira 10 recomendações importantes para prevenção do câncer

Equipe Oncoguia

Última atualização: 04/02/2011

 
Um alerta! O cigarro sozinho é o principal fator de risco para aproximadamente um terço de todos os tipos de câncer. Portanto, parar de fumar é a recomendação número zero, ela vem antes de todas as recomendações reunidas abaixo.
 
 
Cientistas estimam que cerca de um terço dos cânceres mais comuns podem ser evitados com uma dieta saudável, atividades físicas regulares e manter-se dentro do peso saudável. Este ano, em celebração ao Dia Mundial do Câncer, comemorado em 04 de fevereiro, resolvemos falar um pouco mais sobre prevenção e o que os cientistas de fato já sabem sobre atitudes que podem, em alguma medida, funcionar contra o câncer.
 
As recomendações abaixo foram, na verdade, reunidas pelo Instituto Americano de Pesquisas em Câncer (AICR), que, diante de tantas informações que circulam pela internet ou de estudos que são publicados diariamente em revistas especializadas, decidiram fazer um pequeno resumo do que realmente funciona em termos de prevenção de câncer.
 
O resultado foram 10 recomendações principais, que você, leitor, confere abaixo. A intenção é que essas orientações possam ser seguidas pelas pessoas em sua vida diária. Naturalmente, quando se trata de câncer, não há garantias. Mas esses 10 tópicos representam o que há de mais seguro e confiável em termos de informação disponível sobre como reduzir seus riscos de ter câncer ou recidivas.
 
Um detalhe importante enfatizado pela AICR é que cada passo conta. Ou seja, adotar hábitos, mesmo que pequenos, que vão na direção certa podem fazer a diferença em anos, décadas que estão por vir. E um alerta! O cigarro sozinho é o principal fator de risco para aproximadamente um terço de todos os tipos de câncer. Portanto, parar de fumar é a recomendação número zero, ela vem antes de todas as recomendações reunidas abaixo.
 
 
1) Mantenha-se dentro da faixa de peso considerada normal
 
Manter um peso saudável é uma das coisas mais importantes que você pode fazer para reduzir seu risco de desenvolver os tipos mais comuns de câncer. Mantenha-se dentro da faixa de peso considerada saudável de acordo com a tabela que indica o índice de massa corporal (veja abaixo). 
 
 
 
Atualmente, há evidências convincentes de que o excesso de gordura corporal é fator de risco para seis tipos de câncer: mama na pós-menopausa, câncer de cólon, câncer de esôfago, câncer de endométrio, câncer de rim e câncer pancreático. Há ainda evidências que ligam o excesso de gordura corporal com a incidência de câncer de vesícula biliar.
 
Depois de não fumar, manter um peso saudável é a coisa mais importante que você pode fazer para prevenir o câncer!
 
 
2) Ser fisicamente ativo por pelo menos 30 minutos todos os dias.
 
Sabe-se que atividades físicas regulares ajudam a manter nosso coração saudável. A boa notícia agora é que elas também podem reduzir o risco de aparecimento de muitos tipos de câncer.
 
Estudos mostraram que atividades físicas regulares ajudam a manter os níveis de hormônio em faixas toleráveis, sabe-se que altas taxas de hormônio são um fator de risco importante para o câncer. Atividades físicas também fortalecem o sistema imunológico, ajudam a manter o sistema digestivo saudável e, claro, permite que você consuma mais alimentos (nutrientes), sem ganhar peso.
 
A AICR recomenda começar com 30 minutos de exercícios moderados todos os dias e lembra que alguma coisa é melhor do que nada. Começar devagar é a recomendação para quem está fora de forma. Mesmo pequenas doses de exercício durante o dia ou semana são benéficos, o que importa é o tempo total de exercícios que você faz durante um período.
 
Para um máximo ganho dos benefícios da atividade física, os cientistas recomendam que nossa meta seja praticar 60 minutos de exercícios moderados todos os dias. 
 
Um exemplo de exercício moderado? Caminhada.
 
 
3) Limite o consumo de alimentos altamente calóricos (alimentos ricos em gorduras e açúcares e pobres em fibras) e bebidas açucaradas (refrigerantes, águas com sabor, chás enlatados)
 
Ao escolher constantemente alimentos e bebidas que contém as chamadas “calorias vazias”, ou seja, que são calóricos e não trazem nenhum benefício à sua saúde, você pode estar indiretamente aumentando suas chances de desenvolver câncer, já que esse padrão alimentar leva à obesidade que, por sua vez, é um importante fator de risco para essa doença.
 
É por isso que a dica para minimizar suas chances de desenvolver câncer é escolher alimentos ricos em nutrientes e fibras e pobres em gorduras e açúcares.
 
 
4) Limite o consumo de carnes vermelhas (boi, porco, cordeiro) e evite carnes processadas
 
Para se proteger contra o câncer, a AICR recomenda limitar o consumo de carnes vermelhas a cerca de 500 gramas por semana, podendo essa quantidade ser dividida em várias porções durante esse tempo.
 
Quanto a carnes processadas, tais como presunto, bacon, salsichas e frios diversos, melhor guardar para ocasiões especiais. Segundo apontam estudos científicos, o processo de preservação da carne por meio de defumação, salgamento ou por conservantes pode produzir substâncias carcinógenas, que corrompem células saudáveis.
 
Há evidências concretas de que carnes vermelhas aumentam o risco de câncer de colorretal, o terceiro tipo de câncer mais comum em homens e mulheres em todo mundo. Esse tipo de carne contém susbstâncias, como por exemplo o ferro, que, em excesso, podem danificar o revestimento do colon.
 
 
5) Coma grande variedade de folhas, frutas, legumes e grãos
 
Baseie sua dieta em produtos de origem vegetal, que contém fibras e outros nutrientes e, consequentemente, reduzem os riscos de câncer. Ao preparar seu prato, tente preenchê-lo com ao menos dois terços de alimentos de origem vegetal.
 
Estudos dizem que esses alimentos protegem contra uma variedade de tipos de câncer, incluindo câncer de boca, faringe, laringe, esôfago, estômago, pulmão, pâncreas e próstata. Suas vitaminas e minerais ajudam o corpo a se manter saudável e fortalecem o sistema imunológico. Suas substâncias fotoquímicas são também componentes biologicamente ativos que ajudam a proteger as células do nosso corpo. 
 
 
6) Não consuma ou consuma com moderação bebidas alcoólicas 

Estudos científicos mostram que bebidas alcoólicas de todos os tipos aumentam os riscos para vários tipos de câncer, entre eles: boca, faringe, laringe, esôfago, mama, colorretal e fígado. Portanto, a recomendação da AICR é: não consuma bebidas alcóolicas. Quando o fizer, consuma a menor quantidade possível.

Os cientistas ainda estão pesquisando o papel exato desempenhado pelo álcool nos casos de câncer. Uma das teorias é de que o álcool pode danificar a estrutura do DNA, aumentando desta forma o risco de câncer. Pesquisas também mostram que o álcool pode ser particularmente prejudicial quando combinado ao tabagismo.
 
 
7) Limite o consumo de alimentos com muito sal e processados com sódio

O consumo excessivo de sal pode contribuir para o aparecimento de câncer de estômago. Isso acontece porque a ingestão elevada de sal pode danificar o revestimento deste órgão. 
 
A maior parte do sal de nossa dieta vem geralmente de alimentos processados. Nem sempre nos damos conta do quanto esses alimentos são ricos em sódio, já que não os sentimos tão salgados. A dica é ler sempre o rótulo do produto para ter mais informações e nem sempre confiar no paladar. 
 
Cuidado com os cereais matinais, pães, comidas congeladas, pizzas e batatas fritas. Mesmo alimentos doces, tais como biscoitos e bolachas podem conter níveis elevados de sal.
 
 
8) Não use suplementos alimentares
 
Quando possível, o melhor é obter os nutrientes de que precisamos dos próprios alimentos. Em alguns casos, doses muito altas de suplementos vitamínicos estão associadas a um maior risco de câncer.  Alguns estudos dizem que suplementos vitamínicos podem desregular a harmonia entre os nutrientes de seu corpo. Se realmente for preciso fazer uso desses suplementos, faça-o de acordo com as orientações de seu médico.
 
 
9) Amamente seu filho até os 6 meses de idade no mínimo
 
Estudos já mostraram que a amamentação até os 6 meses de idade no mínimo protege o bebê contra o excesso de peso, não só durante a infância, mas também durante a vida adulta, pois crianças obesas têm maior chance de se tornarem adultos obesos.
 
Além disso, há evidências bastante fortes de que a amamentação protege a mãe do câncer de mama. Esse simples ato contribui para diminuir os níveis de alguns hormônios que podem estimular o câncer na mullher. No final da amamentação, o organismo se livra de qualquer célula danificada que possa causar câncer de mama no futuro. Mais um ponto a favor da amamentação.
 
 
10) Após o tratamento, os sobreviventes do câncer devem seguir todas as recomendações acima
 
Idealmente, toda pessoa que tenha recebido um diagnóstico de câncer deveria receber aconselhamento nutricional especializado. O objetivo principal dessa orientação seria fazer com que o paciente pudesse ter acesso a uma dieta balanceada que o auxiliasse na manutenção de seu peso e lhe fornecesse nutrientes em quantidades adequadas.
 
Existem fortes evidências de que atividades físicas e outras medidas que possam ajudar o indivíduo que já enfrentou um câncer a manter-se dentro do peso ideal, tais como uma dieta balanceada, podem prevenir recorrências, em particular no caso de câncer de mama.
 
 
 
Fonte: American Institute for Cancer Research
 
 
 
 
 
 


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003-2009 Oncoguia. Todos os Direitos Reservados. desenvolvido por Lookmysite