Oncoguia

Pesquisa no site:

Pesquisa no site:

RSS

A- A+

Patrocínio

Pesquisa aponta que 8 em cada 10 usuários têm problemas com planos de saúde

Equipe Oncoguia

Última atualização: 16/08/2012

Uma pesquisa da APM (Associação Paulista de Medicina) divulgada nesta quarta-feira aponta que 77% dos usuários de planos de saúde --praticamente 8 em cada 10-- disseram ter enfrentado algum tipo de problema nos últimos dois anos.

Veja a íntegra da pesquisa

Os usuários entrevistados disseram ter ocorrido, em média, mais de quatro problemas.

A pior situação foi apontada nos prontos-socorros, já que 72% disseram ter tido problema nessa área. Em seguida ficaram as consultas, com 64%, e os exames diagnósticos, com 40%.

Segundo a APM, o objetivo da pesquisa foi desenhar um panorama de como anda o atendimento dos planos no Estado e saber a opinião dos usuários. A pesquisa retrata um universo de 10 milhões de pacientes.

Foram realizadas 804 entrevistas em todo o Estado, com pessoas acima de 18 anos que tinham planos e o haviam usado nos últimos 24 meses.

A pesquisa foi feita pelo Datafolha entre 14 e 22 de maio de 2012, com margem de erro de 3 pontos percentuais e nível de confiança de 95%.

A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) afirmou que só irá se pronunciar após analisar a pesquisa.

Já a FenaSaúde (Federação Nacional de Saúde Suplementar), que representa 15 dos maiores grupos de operadoras de planos, destacou que a própria pesquisa aponta que 69% dos entrevistados declaram-se satisfeitos com os planos de saúde. Afirmou ainda que as empresas afiliadas "trabalham para a constante evolução do atendimento prestado".

PROBLEMAS

Entre os problemas apontados nos prontos-socorros estão local de espera lotado (67%), demora para atendimento (51%) e para a realização de exames (12%), locais inadequados para medicação (12%), negativa de atendimento (5%) e demora ou negativa na transferência para leito hospitalar (4%).

No caso das consultas, as principais queixas são de demora para marcação (53%), de médico que saiu do plano (30%), demora para autorização (25%), falta de médicos nas especialidades (20%), demora na autorização de exames (19%) ou restrição (11%) a eles durante a consulta.

Em exames diagnósticos, as reclamações recorrentes são de demora para marcação de exames e procedimentos (24%), poucas opções de laboratórios (24%), demora para marcação (24%) e plano que não cobriu os exames (9%).

TELEFONE

Na divulgação da pesquisa, a APM também lançou, em parceria com a ProTeste (Proteste (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor), um serviço nacional de apoio aos pacientes.

O telefone 0800-200-4200 atenderá reclamações de todo o Brasil, oferecendo esclarecimento e apontando encaminhamentos para a garantia dos direitos dos usuários dos planos.

"O consumidor não tem acesso aos serviços de saúde. É uma situação preocupante. Os problemas são inúmeros e é preciso haver uma proposta para que isso seja solucionado", afirma Maria Inês Dolci, coordenadora da ProTeste.
 
 
Fonte: Folha de São Paulo


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003-2009 Oncoguia. Todos os Direitos Reservados. desenvolvido por Lookmysite